Sem querer me intrometer | Mariana Baptista

TAG: 05 livros que me marcaram

8 opinaram |
     Vocês, com certeza, já viram seus amigos respondendo ― ou, até mesmo, já responderam ― o desafio literário que está rolando no Facebook, não é mesmo? A querida Isadora Ribeiro, blogueira do Entre Vírgulas, trouxe o desafio em forma de tag em um post e me indicou para postá-lo aqui no Sem Querer me Intrometer. Então, já que eu ainda não fiz minha lista lá no Facebook, vou contar agora para vocês os cinco livros* que mais me marcaram na vida. 
*O desafio original é de indicar 10 LIVROS, mas não consegui pensar em tantos e acabei reduzindo o número.


1) As Vantagens de Ser Invisivel, Stephen Chbosky

Juro que tentei começar minha lista com outro livro, mas eu simplesmente não consigo pensar em uma outra obra que tenha me marcado tanto. Li As Vantagens de Ser Invisível por indicação de uma amiga e não tinha NENHUMA expectativa em relação ao livro, mas acabei me apaixonando. Hoje, ele é de longe meu título favorito <3 [minha resenha aqui]



2) O Lado Bom da Vida, Matthew Quick

Eu tenho uma confissão para fazer para vocês: Não sou o tipo de pessoa que costuma ver o contorno de luz que se forma em torno das nuvens lado bom das coisas. Porém, com tudo que foi "dito" por Pat Peoples em O Lado Bom da Vida, eu juro que agora, depois da leitura, tento ser gentil ao invés de ter razão e enxergar a parte positiva das coisas ruins que acontecem na vida. Esse livro ensina MUITO. Todo mundo deveria ler. [minha resenha aqui]


3) Passarinha, Kathryn Erskine

É impossível não citar Passarinha nessa lista. A Caitlin e a forma com que ela vê o mundo são totalmente marcantes. O livro aproxima o leitor da mente de pessoas que tem a Síndrome de Asperger, além de trazer uma visão bastante rica em emoções diante de uma tragédia avassaladora. [minha resenha aqui]





4) Extraordinario, R. J. Palacio

Eu sinceramente não sei nem explicar o quanto gosto desse livro. A estória, a forma com que foi escrito, os personagens... É tudo tão perfeito que não dá nem para começar a falar sobre ele. Eu quase nunca me emociono com os livros, mas com Extraordinário eu chorei feito criança desde o primeiro capítulo (é sério!). É outro livro que acredito que todo mundo deveria ler.



5) Preciso te Contar uma Coisa, Melissa Hill

Tá legal, quão estranho é um chick-lit entrar nessa lista? Provavelmente, muito. Mas não posso deixar de citar Preciso te Contar uma Coisa como um dos livros mais marcantes que eu já li. A Karen, uma das secundárias da obra, é a personagem que eu mais gosto entre todas que já conheci nos livros. A personalidade e estória dela me marcaram DEMAIS, tornando o título um dos meus favoritos. [minha resenha aqui]




     Para variar, não vou marcar ninguém na tag, mas quero saber a lista de vocês, hein? Conseguem citar os dez livros mais marcantes das suas vidas ou só tem cinco, assim como eu? Não deixem de comentar.

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO*

Escolha a capa do novo livro da Tammy Luciano!

7 opinaram |
     Quem acompanha as redes sociais da autora Tammy Luciano e/ou da Editora Valentina já devem estar sabendo da novidade: Tem livro novo a caminho! A querida escritora dos sucessos Garota Replay e Claro que eu te amo! agora está com um lançamento em parceria com a editora, o livro Sonhei que Amava Você. Ótima notícia, não é mesmo? E o mais legal é que VOCÊ pode ajudar a escolher a capa da obra! A Valentina disponibilizou um formulário com seis opções de artes para os leitores votarem e decidirem-se pela melhor.


     Para votar, basta clicar AQUI e responder a pesquisa até o final :) Eu já tenho minha favorita, sem dúvidas. Bati o olho em uma dessas seis e me apaixonei! hahaha E você? 

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO*

Resenha: Dias Perfeitos | Raphael Montes

4 opinaram |


Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 274
Avaliação: ★★★★ (4/5)



Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

     Quando a Companhia das Letras me ofereceu Dias Perfeitos para resenha, aceitei sem saber muito bem o que esperar. Poucos dias depois do lançamento do livro, o autor Raphael Montes estava em destaque em todas as mídias e sua popularidade crescia cada vez mais, então não consegui evitar a terrível expectativa gigantesca que se formou dentro de mim. Felizmente, posso afirmar que o livro conseguiu atingi-la.

     A obra tem como tema principal um amor obsessivo um assunto que, particularmente, me interessa muito ― e consegue, com sua narrativa, envolver o leitor em um mix de sentimentos como angustia, aflição e MUITA desconfiança.

     Dias Perfeitos começa nos apresentando Téo, um jovem introspectivo que nunca teve amigos e sempre se descreveu como um “acostumado com a solidão” em sua vida. Ninguém no mundo ― nem mesmo sua mãe, que possui seus próprios problemas de saúde ― consegue se aproximar do garoto a ponto de fazê-lo sentir-se a vontade para expressar seus sentimentos.

     Certo dia, em um churrasco, Téo conhece Clarice, uma garota espontânea, alegre e divertida que é totalmente diferente dele. Diante do primeiro contato entre os dois, um sentimento profundo se instala em Téo e ele passa acreditar que iniciou um relacionamento sério com a garota que acaba de conhecer.

Algo havia explodido dentro dele. Algo que ele não conseguia e nem queria explicar. Ainda que não soubesse o sobrenome de Clarice, onde ela morava ou em que universidade cursava história da arte, ele tinha o número do celular dela e isso os tornava íntimos. Capítulo 2, pág. 21

     Porém, para Clarisse, Téo não passa de um rapaz qualquer que ela conheceu em uma festa. Nada além disso. E a menina nem sequer imagina o perigo no qual está sendo inserida ao dar um fora no garoto quando ele tenta se aproximar dela.

     Inconformado com o fato de Clarice não corresponder ao seu forte sentimento, Téo sequestra prende a garota para passar a “conviver” com ela a fim de mostra-la o tamanho do seu amor e faze-la, finalmente, se apaixonar por ele.

     A narração, apesar de ser realizada em terceira pessoa, foca-se nos sentimentos confusos e perturbados de Téo, mostrando a forma doentia com a qual ele interpreta seu relacionamento com Clarice. Mesmo mantendo-a em cárcere, o garoto não consegue aceitar que sua relação não seja exatamente igual à de qualquer outro casal normal, com brigas e desentendimentos momentâneos.

(...) Clarice precisava ser protegida de si mesma. Téo entendia que ela estivesse sofrendo, mas não estava nem um pouco arrependido do que tinha feito. Capítulo 25, pág. 214

     Acredito que o verdadeiro ponto de destaque de Dias Perfeitos no mercado literário é que, como acontece poucas vezes nos livros atuais, o protagonista é totalmente detestável. O leitor consegue identificar a falta de sanidade mental de Téo, mas suas atitudes são tão desprezíveis que é impossível evitar sentir asco dele durante a narrativa.

     Mas, vamos resumir toda a informação dessa resenha? Esse livro vai te perturbar. Te angustiar. Te fazer refletir, refletir, refletir e refletir sobre situações relacionadas à obsessão que acontecem de verdade na sociedade todos os dias. E, ainda assim, você vai amar Dias Perfeitos, indicar a todos os amigos e ficar com a sensação de quero mais

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO*