Sem querer me intrometer | Mariana Baptista

[DICA] Como economizar na hora de comprar livros? :)

13 opinaram |
     Hoje trago para vocês uma postagem super especial! Fiquei pensando... pensando... pensando e, finalmente, reuni algumas dicas para vocês que ― assim como eu ― são leitores compulsivos, economizarem na hora de comprar livros. Vamos conferir? \o/

1. SAGAS

Vai comprar livros de uma série? Compre todos de uma vez. O preço de um box com todos os volumes de uma saga é MUITO menor do que compra-los separadamente. Não tem dinheiro para pagar por todos de uma vez? Empreste um cartão de crédito e parcele :) No final, vai compensar muito mais.

2. CUPONS

Alie-se aos sites de cupons. Muitos sites são especializados em disponibilizar cupons de descontos em lojas populares de livros, como a Saraiva e o Submarino. Um site que indico é o CupoNation, que tem parceria com várias lojas e é super simples de usar :)

3. SEBOS

Procure por livros seminovos. Sei que muitos de vocês têm preconceitos com sebos, mas confiem em mim: Tem MUITOS livros bons que podem ser encontrados por lá. Afinal, vocês acham que pessoas cuidadosas com seus exemplares não vendem/trocam livros com sebos? Trocam sim! Vale a pena conferir. E, se forem seguir essa dica, aproveitem para conhecer o sebo onde eu trabalho, Sebo e Lojão \o/ Tem muitos livros em ótimo estado lá e eles fazem entrega para todo o Brasil.

4. POUPAR

Guarde seu dinheiro para quando houver bons descontos. Sites como a Submarino, Saraiva, Americanas e Extra estão sempre fazendo promoções relâmpago e descontos exclusivos. Tente se controlar nos gastos para ter grana para aproveitar essas situações.

5. MOEDAS

Faça um cofrinho com as moedas que recebe de troco com a finalidade exclusiva de comprar livros. Vi muita gente fazendo isso para a Bienal, mas por que parar durante o restante do ano? Se você costuma pagar bastante coisa do dia-a-dia com dinheiro ― e, consequentemente, recebe bastante troco em moedas ―, no final de cada mês pode se surpreender com a quantidade de dinheiro guardada.

6. LIVROS IMPORTADOS

Sabe se virar razoavelmente bem no inglês? Compre as versões originais dos livros internacionais. Os famosos paperbacks americanos são bem baratinhos e sites como o Book Depository, que é super seguro e freta de graça para o Brasil :) Lembrando que não é necessário que você seja fluente para conseguir ler em inglês, basta começar a pegar prática com os livros de vocabulário mais simples.

7. LIVROS NACIONAIS

Compre livros nacionais direto com os autores. Dependendo da editora ― ou, também, publicações independentes ―, alguns autores nacionais recebem uma quota de exemplares de seus livros para venderem diretamente para os leitores. Eles vivem fazendo promoções bacanas e condições de pagamento especiais, além de oferecerem brindes e autógrafos.

8. SORTEIOS

Participe de sorteios. Você sabe quantos sorteios estão rolando na blogosfera agora mesmo? Não? Nem eu, mas sei que são muitos. Vejo muitas pessoas falando que não participam porque nunca ganham nada. Sabem por que vocês não ganham nunca? PORQUE NÃO PARTICIPAM, MEUS FILHOS! Bora dar uma chance pra sorte, vai.

     Espero que minhas dicas tenham sido úteis para vocês. E se tiverem mais algum conselho para esse tipo de economia, por favor, compartilhem nos comentários ;)

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE AGOSTO*

BIENAL 2014: Eu fui! {Parte 2}

10 opinaram |

     Como prometido ontem, aqui está a segunda parte das minhas imensas observações sobre a Bienal do Livro. Hoje, vocês não terão que ler um texto gigantesco, mas terão que ouvi-lo, porque eu falei DEMAIS. São mais de vinte minutos de Mariana sendo besta ― como eu sou mesmo, de costume diretamente para vocês. Divirtam-se! ;)

     Falei no vídeo que iria fazer as contas de quanto gastei nos livros que comprei por lá, e fiz \o/ Só para vocês saberem, foram R$240,00 que se foram para nunca mais voltar.


     E eu acabei esquecendo de responder as perguntas que pedi que vocês fizessem no último post, então vou respondê-las aqui, por escrito mesmo :) A Nathália Bastos quis sanar duas dúvidas... A primeira delas eu não entendi muito bem Você é meio monga, né Mariana? Sim, meus caros, eu sou. ― e pedi para ela me explicar melhor hahaha Quando eu souber o que responder, atualizo o post. Enquanto isso, a outra pergunta foi a seguinte:
    
     1) É possível conversar com os autores e também com a gerente de alguma editora para oferecer uma proposta de parcerias?
     Sim! Quanto aos gerentes das editoras, é um pouquinho mais difícil (nem sempre eles estão lá para atender), mas é só perguntar quem cuida dessa parte de parcerias que você vai poder, pelo menos, ter algumas explicações sobre a seleção de parceiros e etc. E quanto aos autores, é mais fácil ainda :) Eles estão espalhados pelos estandes, basta chegar lá e falar sobre parceria, fazer a propaganda do seu blog e tal. A Bienal é uma ótima oportunidade para ter esse contato mais direto!

     Se alguém tiver mais uma dúvida, posso tentar ajudar pelos comentários desse post.
     De qualquer forma, não se esqueçam de me falar o que acharam do vídeo.

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE AGOSTO*

BIENAL 2014: Eu fui! {Parte 01}

18 opinaram |


     Antes de começar, um aviso: Se você não gosta de posts longos, volte ao blog em outro dia, porque hoje pretendo falar MUITO. Nessa Parte 01, irei focar em contar para vocês os autores que conheci ― ou revi ― e o evento em si. Amanhã, na Parte 02, mostrarei em vídeo minhas compras e falarei sobre os preços, ok? :) Já está tudo anotado para não esquecer nenhum detalhe!

     Acredito que todos vocês já devem ter ouvido poucas e boas sobre o primeiro final de semana da Bienal do Livro (23.08 e 24.08) e essa será mais uma postagem sobre esse assunto, afinal, eu também estava lá. Mas, ao contrário do que tenho visto na maioria dos comentários acerca do assunto, meu relato não vai ser tão dramático ou emocionante quanto deveria ser devido a dimensão dos problemas organizacionais ocorridos no evento nesse período.

     Minha visita à Bienal foi simples. Sim, totalmente simples. Os motivos? Não tentei pegar senha para a sessão de autógrafos do Harlan Coben, nem da Cassandra Clare e tampouco da Kiera Cass. Sinceramente, não me sinto muito capacitada para enfrentar filas grandiosas e, muito menos, disputar espaço com centenas e mais centenas de fãs enlouquecidos, então, como não sou tão fã dos autores que estavam presentes, resolvi me manter longe de toda confusão.

     Na entrada, a fila estava tão grande que assustava! Eu nunca ― nunca mesmo, NUNCA, nunquinha ― vi filas tão desorganizadas quanto as que estavam sendo formadas no portão do evento. As filas mais pareciam apenas amontoados de gente sem rumo certo e em qualquer lugar que você se posicionasse alguém te criticava por estar “furando” uma fila inexistente. Uma loucura total!

     Ainda assim, consegui fazer (quase) tudo que planejei para os dois dias em que estive lá e saí com treze novos moradores para minha estante, vários autógrafos super especiais e nenhum tostão na carteira. Vou mostrar para vocês, agora, as poucas fotos que tirei com alguns dos autores que conheci por lá. 


     No meu primeiro dia de Bienal (23.08), fui ao lançamento de Silver ― PARA NOOOOOSSA ALEGRIA! ―, continuação de Lilac, um dos meus livros nacionais favoritos. Com isso, finalmente conheci a Deise Muller, autora da obra <3 Também conheci a querida Laura Conrado e consegui meus tão cobiçados autógrafos em Freud, Me Tira Dessa! e Freud, Me Segura Nessa!
     Mais tarde, fui ao lançamento do livro Mudanças, da L. L. Alves. Ela foi super fofa ao autografar meu exemplar e preparou um kit de brindes LINDO para os leitores *-* Nos arredores do estande da MODO Editora, conheci a Josy Stoque, parceira querida do blog e autora da trilogia Puro Êxtase (entre outras obras) <3
    Nesse mesmo dia, revi algumas autores que adoro, mas não tiramos fotos :( De qualquer forma, quero citá-los nesse post: Graciele Ruiz, Erica AzevedoGabriel Schmidt, Rodrigo Mendes, Mari Scotti e Denise Flaibam.



     No segundo dia em que estive lá (24.08), passei bastante tempo no estande da Novo Conceito. Lá, conheci a talentosa Christine Melo, autora de Enquanto a Chuva Caía. Também conversei muito com o Maurício Gomyde, que além de autografar meu exemplar de A Máquina de Contar Histórias, me deu dicas impagáveis sobre o mercado editorial.
     Conheci a Tammy Luciano, que admiro desde a publicação de Garota Replay, e sinceramente, nunca vi uma autora tão simpática e boa de papo! Uma querida <3 E por último ― mas não menos importante. Mesmo. ― autografei meu exemplar de A Namorada do Meu Amigo com a super atenciosa Graciela Mayrink.


     Participei do lançamento de De Repente, Ana que rolou no estande da Novo Conceito no domingo. Lá, consegui um autógrafo com a querida Marina Carvalho, que foi muito atenciosa com todos os presentes. Também no estande da NC ― porém no sábado ― houve uma palestra seguida por sessão de autógrafos com a Lucinda Riley. Foi a única senha para autor internacional que tentei pegar e... consegui \o/ Agora meu exemplar de As Sete Irmãs está devidamente autografado ;)

     Para resumo de conversa, meu final de semana valeu SUPER a pena e devo isso, principalmente, aos autores nacionais, sempre humildes e prontos para conversar com seus leitores.

     E para terminar o post, tenho algumas dicas bem importantes para vocês...

Dicas para quem pretende visitar a Bienal 2014: 

Esteja sempre atento à sua bolsa/mochila. Devido à alta aglomeração de pessoas, estão ocorrendo alguns furtos praticados por visitantes mal intencionados dentro do evento. A organização da Bienal não se responsabiliza por objetos perdidos.
Leve água. Lá dentro é muito quente e você vai precisar.
Não tenha pressa. Vocês podem encontrar boas promoções se se empenharem nisso. Com os estandes lotados, muitas vezes desistimos de comparar preços entre os distribuidores e acabamos comprando livros caros porque “já estou aqui mesmo”.
(Final de semana do dia 30.08 e 31.08) Se não estiver disposta a pegar uma mega fila na entrada, você tem duas opções: Ou chegue MUITO cedo (mais ou menos umas duas horas antes dos portões serem abertos), ou deixe para chegar durante a tarde. O período entre as 10:00h (abertura dos portões) e o meio-dia é extremamente lotado!
Tenha sua programação sempre em mãos. A equipe da Bienal não está muito bem preparada para passar informações sobre lugares e eventos, então é bom levar tudo anotado e, de preferência, já destacado no mapa.
Leve comida de casa. Os preços da praça de alimentação são absurdos e as filas ainda mais! Não compensa MESMO comprar lá.
Essa dica pode parecer um pouquinho “interesseira”, mas... Sempre peça brindes nos caixas dos estandes em que fizer compras. Eles têm muitas coisas guardadas lá e nem sempre distribuem de livre e espontânea vontade.

     Espero que tenham gostado do meu mega post, porque amanhã tem mais! :)
     Se tiverem alguma pergunta sobre o evento, podem fazer que aproveito para responder no vídeo.

*ESSA POSTAGEM É VÁLIDA PARA O TOP COMENTARISTA DE AGOSTO*